“Qual vai ser agora, senhor presidente?” Volume 1

18/10/2010

Lula “cogita” trabalhar como apresentador de TV.

Vamos às possibilidades.

Topa Tudo Por Dinheiro.
Assistentes de palco Erenice e Dilma. Na câmera escondida do Youtube, José Dirceu e Ciro Gomes.

Brasil Emergente. No melhor estilo Datena, Lula dá um tapa na cara da sociedade e mostra as falhas do sistema. Que geralmente são “erros desconhecidos”.

Tele-Curso 2000. Luis Inácio volta no tempo e dá umas dicas de torno pros feras em cursos profissionalizantes.

A Casa Civil é Sua. Lula, Dilma, Erenice e seus filhos contam – quase – tudo sobre o que acontece no Brasil.

Fala Que Eu Te Escuto. Todos os grampos da Polícia Federal com comentários de especialistas.

A Fazenda. Guido Mantega e Lula num talk show muito divertido sobre quem deve ou não sair.

Hipertensão. Lula e aposentados conversam sobre saúde e experimentam comidas horríveis.

Armação Ilimitada. Lula e seu amigo Juba em altas confusões em Brasília. Sempre surfando no lago Paranoá.

Anúncios

A casa dos infernos

15/10/2010

A casa dos infernos tem espada de São Jorge num pote de margarina em cima da geladeira. Uma planta comigo-ninguém-pode torta na sala. E uma samambaia adornando a varanda.

Lá fora, vemos duas garrafas pet cheias d’água no contador de luz. E um muro coberto de caco de vidro.

Na sala, uma foto de Jesus emodulrada que fica te seguindo com o olhar. Miçangas barulhentas penduradas dividem um cômodo do outro.

Na garagem temos um Chevette com o adesivo “A inveja é uma merda”.

Relógio de parede é da Ótica Diniz. Uma plaquinha na porta avisa: “Aqui mora uma família feliz”.

Camisas de candidatos são usadas de pano de chão. Papel de presente forra as gavetas.Copo de requeijão? Muitos.

O filho já plantou feijão no algodão.

Na estante: livros da Seicho-no-ie, enciclopédias de 1980, uma Veja com um metalúrgico do ABC na capa com a chamada “A voz da esquerda”, e um elefante com a bunda virada pra porta.

Jarra de plástico em formato de abacaxi. Calendário de farmácia, açougue ou padaria.

Um cachorro barulhento que não sabe o que é banho desde que nasceu.

Tem chinelo Rider e bolas de plástico presas no telhado. Quadros de copo de leite, pôster da Madonna e fitas da formatura do colegial em vários cantos da residência.

No quarto dos pais tem um cofre. E dentro do cofre a escritura.

Vai uma censurazinha aí?

11/10/2010

Você já deve ter lido a matéria, ou então assistido ao vídeo que segue abaixo. Trata-se da abertura do seriado mais longevo da TV americana, o fundamental Os Simpsons, e que foi feita pelo igualmente polêmico grafiteiro Banksy. Mas o que me interessa nele é a discussão que desperta.

Nos últimos tempos, Os Simpsons vem sendo acusado pelo noticiário americano de explorar desenhistas e artistas de países como Coreia do Sul. A mão-de-obra e parte da renderização da atração é feita por lá, trazendo uma generosa economia.

A conservadoríssima Fox aceitou exibir isso. O desenho animado referência da liberdade de expressão fez o que faltava para se tornar meu norte definitivo para o resto da vida: riu de si mesmo.

E aqui, como um bom país liberticida que somos, de bundas, caipirinhas e escândalos, estamos falando de “aborto”.

O Mercado Livre vende a 1ª Emenda? Fiquei interessado.

PS: saiu do ar o original e consegui uma versão meia-boca. Ah, e não se trata de censura, é só direito autoral mesmo, fera.

Afasta de mim esse chato, Pai

30/09/2010

Antes desse bombardeio de informação, a intolerância existia, mas não era tão retuitada. Você tinha um odiozinho aqui, um preconceitozinho ali, uma raivinha acolá, sem qualquer constrangimento. Anos de progresso e evolução só escancararam a verdadeira faceta do ser humano: um eterno babaca, que com ferramentas, se torna altamente perigoso.

É impressionante como se mata e se provoca guerra utilizando como recurso crendices e opções religiosas. Parece que toda a discussão converge para um adesivo no carro “Meu Deus é melhor que o seu”. Se é assim, o meu é o com mais senso de humor de todos, já que levou os amigos mais engraçados que já tive, e deve entender perfeitamente que as tiradas que faço não são pessoais.

Meu único preconceito vivo é a respeito de gente chata. E isso pode incluir um torcedor desmiolado, um gay babaca, um branco calhorda, um judeu desagradável, etc.

Religião, política, futebol e mulher dos outros sempre que tocado, dá problema. É cada vez mais difícil falar sobre estes temas sem sofrer ameaças físicas.

Lincoln, além de grande estadista e fornecedor de avatares para perfis de Twitter, tinha uma frase na manga sensacional para este tipo de assunto. “Quando pratico o bem, sinto-me bem; quando pratico o mal, sinto-me mal. Eis a minha religião”.

O movimento tá parado

30/09/2010

Clique na tira para ampliar e se emocione.

****

****

****

Debate

26/09/2010

MEDIADOR
Boa noite. Estamos hoje aqui com os dois candidatos a risidência. José da Graça, pelo partido A, é humorista stand up, ator, escritor, modelo e cientista.

– Boa noite.

MEDIADOR
João Bobo, o outro candidato, disputa uma vaga pelo partido B. Ele é humorista stand up, músico, designer, artista multifacetado, pai da Lê, da Fê, da Má e da Rá.

– Boa noite.

MEDIADOR
Vamos começar o debate por sorteio para saber com quem começa. Vocês já sabem a regra: a flor que esguichar água, o candidato perde a vez.

(Os dois se aproximam. A água esguicha em um deles).

MEDIADOR
Pois bem, vamos lá. As regras são claras e é proibido o uso de torta na cara e a utilização de extintores de incêndio para salvar a piada como o Renato Aragão faz. Pode começar, José da Graça, seu tempo, 30 segundos, ou menos, dependendo do humor.

JOSÉ DA GRAÇA
Dois portugueses se encontram na rua. Um leva uma sacola a tiracolo. – Que tens aí, gajo?
– Galinhas.
– Se acerto quantas tens, tu me dá uma?
– Pois se acertas te dou as duas!
– Bom, então… cinco?

MEDIADOR
João Bobo, a réplica, 30 segundos.

JOÃO BOBO
Se encontram Venâncio e Manuel. O Manuel levava um pinguim com ele, e por isso Venâncio pergunta:
– Raios, Manuel, que fazes com um pinguim?
– Pois deixaram lá em casa e não sei que faço com ele.
– Mas deixe de ser burro, Manuel, porque não o levas ao zoológico?
– Gajo, boa ideia. Hoje mesmo o levarei lá.
No dia seguinte se encontram novamente os dois, e Manuel ainda está com o pinguim. Venâncio estranha e pergunta:

(interrompendo João Bobo)

MEDIADOR
Tempo esgotado, canditado, tempo esgotado.

JOÃO BOBO (cont)
Que te ocorreu, Manuel? Não ias levar o bicho ao zoológico?
– Mas eu levei, ora pois. E nos divertimos tanto que hoje vamos ao circo…

APRESENTADOR (cont)
Por favor, candidato, por favor. Tempo esgotado… José da Graça, a tréplica.

JOSÉ DA GRAÇA
– O gato do portuguesinho morreu. Sua mãe o tenta consolar:
– Não chores, meu pequeno. O Mimi se foi para o céu com nosso Deus.
Então o moleque pergunta entre lágrimas:
– E que raios vai fazer Deus com um gato morto?

(silêncio total)

MEDIADOR
Bem, é.. Vamos agora à pergunta do nosso telespectador. São perguntas escolhidas pela produção e levam em conta a originalidade, correção gramatical e adequação ao tema.
Primeira pergunta!

(entra imagem de alguém sendo entrevistado. Nas legendas vemos escrito“Zezé di Carvalho – Analista de Mídias Sociais e Formador de Opinião Nível Foda”)

ESPECTADOR
Candidato, uma pergunta: Facebook é sacada, Twitter é varanda e Orkut é laje?

MEDIADOR
Pela ordem, José da Graça responde e João Bobo tem a réplica, a tréplica e mais um continente a sua escolha
(risos).

JOSÉ DA GRAÇA
Pergunta muito boa e interessente. É bom que se saiba que Rede Social não é uma associação de pescadores!

(gargalhadas esparsas)

Rede Social não é uma cooperativa de baianos.

(alguns risos)

Rede social somos todos nós. Eu, você, você que tá assistindo, você que dá opinião, você que quer mudar o mundo através da internet, que quer salvar árvores com um clique, que quer desencalhar baleias arrastando o mouse.

MEDIADOR
(apontando para João Bobo)
Réplica.

JOÃO BOBO
BLOCK.

(gargalhadas e aplausos entusiasmados)

MEDIADOR
Por favor, gostaria de pedir que simpatizantes e plateia não se manifestassem durante o debate, sendo permitido apenas gestos obcenos ou sinais de “joinha”.

José da Graça, a sua tréplica.

JOSÉ DA GRAÇA
Meu adversário pensa que sou bunda de anão para me botar pra baixo. Pensa que sou penico ideológico para ficar cagando regra. Para tudo isso só digo uma coisa: JESUS TÁ VENDO. FATO.

MEDIADOR
Agora é o pessoal aqui presente quem faz a pergunta de encerramento. Lembrando que a pergunta precisa ser legal e a pessoa não pode torcer para o XV de Piracicaba.

(gritos de “EU, EU”… e o APRESENTADOR aponta para uma mulher da plateia)

Você aí com cara de Elba Ramalho chupando limão. Fez tanta luz no cabelo que lava a cabeça numa hidrelétrica. Faça a sua pergunta sem cuspir, senão te chamo de dragão.

ESPECTADOR
Boa noite, candidatos… A galinha atravessou a rua, o que ela foi fazer lá?

(marketeiros surgem do nada correndo até os candidatos falando no ouvido alguma instrução)

APRESENTADOR
OK, os marketeiros estão repassando os textos dos candidatos e lendo jornais online para ver se aparece uma nova sacadinha. Pela ordem é você, João Bobo.

JOÃO BOBO
Esse é um assunto que eu recebo no e-mail diariamente… em power point, veja bem! É uma junção de piadinhas sem graça, achando que o brasileiro, em especial a galinha, ainda tem de passar por essa humilhação. O último slide sempre tem um gif gargalhando e sempre mandam na segunda-feira! Temos o maior orgulho de não sermos partidários do PPT.

APRESENTADOR
José da Graça, o senhor tem a fálica, que é a tréplica fodona da réplica.

JOSÉ DA GRAÇA
Esse discurso é tão velho que esses dias recebi um PPS com a foto do Ciro Gomes!

(galera vai ao delírio com a tirada bem pensada)

Direito ao vivo

22/09/2010

Acompanhe ao vivo o julgamento da Lei Ficha Limpa, pelo Supremo Tribunal Federal, no nosso live exclusivo.

13:48
Torcer para o Atlético Mineiro é inconstitucional.

14:00
Ministra Carmem Lúcia se exalta e diz com veemência “Só Deus pode me julgar”!

15:10
Recreio.

15:30
Farelos de bolacha sobre os processos prejudicam andamento da decisão.

16:45
Ministro Dias Toffoli faz pedido de vista. Ministro Joaquim Barbosa provoca ligando um MP3 com Ray Charles e Steve Wonder.

17:18
Ministro Lewandowski defende Lei Seca e duvida quem consegue falar irrevogabilidade, discutibilidade e ilegibilidade são, quanto mais de porre.

18:40
Ministro Cesar PeLanza vota pela avacalhabilidade da calça colorida.

19:30
Ministro Marco Aurélio Melo pede agilidade na votação. Ministra Ellen Gracie dá um Duplo Twist Carpado surpreendendo os presentes.

20:25
Ministros trocam farpas, substituindo os tratamentos usuais “Vossa Excelência”, por Vossa Demência, Vossa Aparência e Vossa Flatulência.

21:00
Totó surpreende Clara…

21:30
Desculpem.

21:31
Esgotam-se os argumentos e os Ministros Gilmar Mendes e Ayres Britto duelam com suas espadas Jedi para saber quem tem razão.

Graficozinhos

16/09/2010

Enquanto os institutos de pesquisa se digladiam em torno de quem erra menos, outros correm paralelamente fazendo uma avacalhação imparcial dos fatos. É aí que a gente entra.

A margem de erro deste estudo é um pouco menor da que fez você nascer, tem metodologia de precisão de um atirador de elite com soluço e a matemática faria Pitágoras se revirar nos catetos.

***************************************************

***************************************************

***************************************************

***************************************************

***************************************************

***************************************************

Pesquisa realizada pelo instituto DinoData em parceria com o DataTosco.
(@tiodino e @microcontoscos)

Dado facts

27/08/2010

Famílias problemáticas, que padecem pelo consumo do álcool e drogas costumam ser as bases das discussões sobre violência doméstica. No entanto, gente criada a pão-de-ló, lenço umedecido e Ovomaltine costuma dar ainda mais incomodação.

Possuindo tudo o que um brasileiro médio deseja na vida: dinheiro, fama e Luana Piovani, Dado Dolabella parece não estar contente. Como não consegue papéis relevantes por onde passa, resolve protagonizar aquilo que se especializou: agredir mulheres.

Prefiro um filho ator medíocre e músico frustrado que participa de reality-shows a um filho que bate em mulheres. Este Dado Facts é um protesto.

A semelhança do Dado e do Netinho de Paula: a música pode ser ruim, mas acertam no ouvido.

Novos ditados: “Namoro do Dado é igual picolé, sempre acaba em pau”.

Qual a diferença entre o Dado e o bolo? O bolo você bate antes de comer.

Avacalhanews: José Serra contrata Dado Dolabella para tentar bater Dilma.

Se você namorar o Dado, nunca peça uma batida.

A Pepita Rodrigues disse que o Dado chutava muito na gravidez.

Dado Dolabella é igual seguro de carro. Você só lembra dele quando bate.

Dado só joga buraco para gritar “bati!”.

O Dado é tão perigoso que a justiça pensa em impedí-lo de ficar a menos de 250 metros do Dollabela.

Quando Dado diz que quer dar um tapinha em um baseado, o baseado se caga todo.

O instrumento favorito do Dado é a bateria. A bebida, a batida. O eletrodoméstico, a batedeira.

Dado não bate punheta: espanca punheta.

Algumas ex-mulheres do Dado têm dor de cotovelo. Outras têm dor de crânio.

A delegacia da mulher tem mais citações ao Dado que o Google.

Dado só joga na loteria para poder chutar os números.

***

E mulheres. Vocês nunca precisaram de homens pra viver. Homens canalhas, nem se fala. Abrasss!

Copyright @tiodino, @microcontoscos e @amatos30.

FATOS DA SEMANA EM FOTOS

17/08/2010

The New York Times elege brasileiros como os mais descontentes com políticos (foto ilustrativa).

Morcego fã de heavy metal rechaça modinha e dispara com raiva: “detesto a saga Crepúsculo e tudo que ela representaaaaahhhhhh!”.

Macaco nariz-de-piroca pode ser extinto por iniciativa própria. A causa: depressão: “quem curte um pinto na cara? Hein?”

Topeiras que não enxergam correm mais risco de morrer de fome por não encontrar geladeira.

EGO: Ator de “Timão & Pumba” aparece irreconhecível e em visível estado de embriaguês: “Ronaldo!”.

Peixe-boi é usado com sucesso na pecuária marinha.