Esse pessoal violento só matando

Por falta de acordo, este post será dividido em duas partes:

1ª PARTE

Estive atrás de um tema para o post desta semana. Ironicamente parei no Rubens Barrichello.

Os humoristas podem respirar aliviados. Sagraram-se os verdadeiros campeões. Está assegurada mais uma temporada de trocadilhos. Imaginem uma charge sobre Fórmula 1 sem zombaria para cima do Rubinho? Melhor nem pensar. Desestabilizaria a nação.

“Loser” é um termo americano atribuído àqueles que não tem, como direi, tanta sorte. Foi importado por comediantes stand-ups brasileiros, que acharam “perdedor” uma palavra, como direi, muito loser.

Barrichello não é exatamente um perdedor ou fracassado, embora os números e eventos apontem o contrário. Não estaria na F1 há tanto tempo de graça. Ao contrário de outros que até pagariam para ter um filho de volta.

Ele é, como vou chamar, de o “mal da expectativa brasileira”. Essa que não tem dinheiro para colocar gasolina em um Fiat 147, mas acha que entende mais de motor que um engenheiro da Brawn.

Se ufanismo ganhasse corrida, todo o mundo já saberia cantar o hino brasileiro.

E Rubinho, não ligue para o que falam. O que passou, passou.


2ª PARTE

Depois de vencer no mata-mata Madri, Tóquio e Chicago, o Rio se depara com uma rodada de morre-morre pelas favelas da Cidade Maravilhosa.

Quem dera fosse São João. Mas era ônibus e helicóptero. A chama do horror. A mídia internacional inclusive começou a botar lenha na fogueira da discussão: teriam eles capacidade de sediar um evento da magnitude da olimpíada? E mais: com segurança?

Não por isso. Sem querer traçar comparativos com Londres (que não tem verão, nem bunda e é cinza) superar desafios como a segurança pública é possível. Poucos dias depois da escolha da capital inglesa, aquele atentado matando dezenas. E depois um contingente e um plano de ações grandiosos colocaram a cidade nos eixos. O curioso é que sobrou para um brasileiro (…).

Já no Rio de Janeiro…

Bem, de qualquer forma, você realmente sabe que se trata de uma guerra quando até a Al Jazeera vem cobrir o negócio.

30 e poucos mortos. Embarcados neste espírito olímpico, já ultrapassamos o Afeganistão no quadro de medalhas.

O problema não é de hoje. Nem se resolverá amanhã. Enquanto isso as autoridades já sabem o que fazer: mandarão todo mundo se abaixar.

fogueira

“Olha a bala!… É verdade!”

Anúncios

5 Respostas to “Esse pessoal violento só matando”

  1. redacaojp Says:

    sou seu fã, tio dino. Abraços. Seus textos são duca.

    @joaopitanga

  2. osprimitivos Says:

    Tio Dino, tu é o cara sempre com belos posts. Você é melhor que o Alan Prost. Piadinha ridicula, mas tá valendo. Grande abraço e parabéns!

  3. João Carlos Says:

    Esse Dino sempre com pensamentos e comentários abalizados!

  4. alexandre costa Says:

    é cara, você está coberto de razão…

  5. Cynara Says:

    Gostei muito dos teus textos.
    Os achei graças a um RT by twitter.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: