Archive for agosto \31\UTC 2009

Vertix é contraindicado em caso de Hino Nacional

31/08/2009
O imediatismo faz com que dias de análise sobre determinado assunto seja completamente
descartável. Portanto, até a publicação deste post, falar da cantora Vanusa e a execução
(sumária) do Hino na Assembleia de S. Paulo vai soar, como vou dizer, “muito anteontem”.
Uma coisa é certa: o Hino Nacional não feito nem para cantar sóbrio, quanto mais de pileque.
Diz a cantora que a sua labirintite e uma briga com o filho desencadearam os tropeços na
melodia. Não duvido. Filhos são um porre.
Fernando Vanucci falou a mesma coisa naquele fatídico domingo pós-copa, com cara de
churrasco e cerveja Petrópolis.
Mais anteontem que isso, só essas versões que são feitas a cada novo viral que cai na rede. Já
colocaram o Keyboard Cat e vários vídeos-respostas com populares bêbados. Estou contando
no relógio a vinda do funk.
Se isso conforta a diva de Manhãs de Setembro, posso dizer, Vanusa, que você fez a melhor
imitação de Paulo Francis cantando que vi até hoje.
Até o próximo viral com labirintite.

O imediatismo faz com que dias de análise sobre determinado assunto seja completamente descartável. Portanto, até a publicação deste post, falar da cantora Vanusa e a execução (sumária) do Hino na Assembleia de S. Paulo vai soar, como vou dizer, “muito anteontem”.

Uma coisa é certa: o Hino Nacional não feito nem para cantar sóbrio, quanto mais de pileque.

Diz a cantora que a sua labirintite e uma briga com o filho desencadearam os tropeços na melodia. Não duvido. Filhos são um porre mesmo e geralmente têm a idade do seu uísque.

Fernando Vanucci falou a mesma coisa naquele fatídico domingo pós-copa, com cara de churrasco e cerveja Petrópolis.

Mais anteontem que isso, só essas versões que são feitas a cada novo viral que cai na rede. Já colocaram o Keyboard Cat e vários vídeos-resposta com populares bêbados. Estou contando no relógio a vinda do funk.

Se isso conforta a diva de “Manhãs de Setembro”, posso dizer, Vanusa, que você fez a melhor imitação de Paulo Francis cantando que vi até hoje.

Até o próximo viral com labirintite.

hino_nacional

Faz parte.

“Belchiar” é preciso

26/08/2009

Quando se fala de um resgate da boa música brasileira, penso em um cantor das antigas na selva amazônica onde nem a FAB vê motivos para se gastar combustível.

O que tínhamos de autêntico se perdeu. Belchior foi só a metáfora.

Eu tenho uma (s) teoria (s) sobre o sumiço. De forma rasa e confusa, como a letra de um funk.

1º – Belchior virou comediante stand-up.

Num clichê absurdo, usa de suas letras para improvisar piadas suscintas no palco:

“O que um rapaz latino americano falou para um europeu? Foi por medo de avião que eu não saí da merda”.

(risos enlatados)

2º – Belchior está nesse momento em uma varanda, tocando violão e tomando caipirinha ao lado do Ulysses Guimarães. Este, lhe dizendo que o PMDB é uma roupa que já não serve mais.

3º – Belchior está no Senado, tentando uma vaga, mas não consegue porque não tem parentes importantes.

4ª – Aposentado, vive de dominó, assim como muito de nossos pais.

E, para acabar de vez com a MPB e posts metidos a engraçados:

5º – Prepara  CD de inéditas, incluindo:

belchior

De um jeito ou de outro, as boas velharias ainda contribuem para as futuras gerações, nem que seja em forma de gíria.

Atentem ao novo verbo na praça: “Belchiar”. Ou seja, dar um tempo.

Blz?

Ideia de livro de sucesso ou apoio para mesa, volume 1

21/08/2009
O Evil Morales disse que vai “conversar” com Lula sobre o preço do gás enviando para cá. Como
vocês bem sabem, o Lugo também “conversou” com Lula sobre a energia elétrica. Você sabe o resultado: além de ter traçado as mulheres paraguaias, deu uma metidinha na nossa fronteira.
Nosso país é muito zeloso. Especialmente fora daqui. Ele até é considerado o observador da
América Latina pelos países desenvolvidos. Um observador com cataratas, claro .
Sabem o Grande Irmão, do livro 1984, do George George Orwell ? O Brasil é a Grande Puta, de
2009: deu pro Paraguai e agora vai abrir as perninhas pra Bolívia.
E vejam só a vantagem: nem cobramos o quarto.

O Evil Morales disse que vai “conversar” com Lula sobre o preço do gás enviando para cá. Como vocês bem sabem, o Lugo também “conversou” com Lula sobre a energia elétrica. O resultado: além de ter traçado as mulheres paraguaias, deu uma metidinha na fronteira alheia.

Nosso país é muito zeloso. Especialmente com quem é de fora daqui. Ele até é considerado o observador da América Latina pelos países desenvolvidos. Um observador com cataratas, claro .

Sabem o Grande Irmão, do livro 1984, do George Orwell ? O Brasil é a Grande Puta, de 2009: deu pro Paraguai e agora vai abrir as perninhas pra Bolívia.

E vejam só que vantagem: nem cobramos o quarto.

Este post é parte integrante do projeto natimorto Reinaldo Azevedo feelings.

Onde estará nosso Flautista de Hamelin?

20/08/2009

A TV Senado mostrou nesta quarta (19) como um lugar pode ser infestado pela podridão e ninguém lá sequer fazer cara feia.

Governistas travaram uma batalha para livrar o dinossauro da extinção, enquanto a oposição – tonta como uma barata -, não sabia se ajudava o senador Virgilio a se safar, ou se engrossava o coro dos brasileiros que acham que lá é lugar, de no mínimo, se cagar com a porta fechada.

Numa rara intervenção de um político, como desses que aparecem em filmes, falam duas frases de efeito e vivem pro resto da vida em um livro de História, um sujeito se sobressaiu.

O nome dele é Flávio Arns, do Paraná. Pediu desfiliação do PT por pura vergonha. Se é fogo de palha, ou se é apenas dissimulação, que se dane. Mas são nessas horas que homens são separados de ratos.

Aloizio Mercadante, vá buscar logo o seu queijo.

OFlautistadeHamelin

Em 2010, eu voto no flautista.

Projetos engavetados, volume 1: “Um dia com Roberto Justus”

14/08/2009
No auge do programa O Aprendiz, e das piadas recorrentes sobre o apresentador, talvez esse mini-curta pudesse ter sentido. Mas o mundo gira, como diria Silvio Santos em mais um Festival da Casa Própria.

Hoje tio Rob está no SBT e quem sabe um dia veja isso:

1
Roberto Justus acorda, todo penteado, aparentando grande disposição, sem qualquer indício de cansaço ou olheiras.
Deitado ao pé da cama, um cachorro labrador, que morde um travesseiro ou algo similar. Justus aponta para o cão falando sério:

– Você está demitido!

O cão sai da cama choramingando como se houvesse levado uma surra.

Corta para

2
Café da manhã. Mesa enorme posta. Um braço estende a margarina para Roberto Justus. No meio do caminho ela cai. Prontamente ele berra apontando o dedo para uma criança.

– Demitido!!!

3
Elevador da empresa. Roberto Justus entra. A ascensorista aguarda a informação do andar.

Breve silêncio.

Ascensorista: – É o 10º, né?

Corta para

4
Elevador abre. Justus sai e ao fundo a ascensorista está aos prantos.

5

Reunião de trabalho. Silêncio sepulcral. Clima muito tenso.
Um som de pum muito agudo escapa.
Roberto Justus segura o riso e, se recompondo, fala:

– DEMITIDO!

6

Sem paletó, Justus caminha pela empresa. Passa por uma sala. Vê uma movimentação e para de súbito. Estica o pescoço e vê um homem puxando o zíper e uma mulher abotoando a camisa.
Abre a boca e aponta o dedo.

Antes de poder dizer alguma coisa, sobem os créditos.

OBS.: caso eu consiga captar verba através de leis de incentivo e outros impostos que você paga para pessoas como eu fazer graça de graça, acrescento mais alguns minutos ao drama.

FIM.

140 maneiras de viver sem o Twitter

13/08/2009

Para dar fundamentação a este texto, comecei fazendo uma lista com “fazer sexo” e terminei ela com “fumando um cigarro”.  O próximo item, instintivamente, foi “twittar sobre isso”. Porra, por questão de sanidade e critério, parei na hora.

Seguirei com devaneios:

Ultimamente está mais fácil tomar uma sopa em um terremoto na Ásia de que contar com a estabilidade do Twitter.

Crackers mal-comidos ou sem motivos para a bronha da noite estão atacando sistematicamente o serviço de microblog – três ataques em menos de duas semanas.

Dito isso, já começa a bater um suave desespero nos viciados. As pílulas de alienação de 140 caracteres fazem muita falta. É visível. Para quem escreveremos sem obter resposta agora?!

Com o eficiente obituário que tem por lá – também conhecido como Trending Topics – deixamos de saber das novidades dos últimos falecimentos.

Sem as celebridades, deixamos de saber de qual cabeleireiro estão escrevendo, ou que o Porsche ainda não saiu da autorizada.

Lastimável. E por isso, como dependente, fiz uma singela paródia sobre o tema utilizando do eterno Raul a visionária “O dia em que a Terra parou”.

Erga o volume:

***

O stand-up não podia twittar, porque da sua piada, ninguém ria lá/
E o estressado não podia mais xingar, porque a sua ofensa, não parava lá.

E o emo não podia mais chorar, porque sua tristeza, também não tava lá/
E o egocêntrico não podia se gabar, porque sua presença, também não tava lá.

O dia em que o Twitter parou!
O dia em que o Twitter parou! (repetir, como um ERROR).

***

Quando travar, daqui em diante, sei lá, sai dessa e toca um Raul.

raul

Só três coisas falam sozinhas: eu, a Voz do Brasil e o Twitter (Raul Seixas)

Gente inocente

10/08/2009
Mandei um e-mail no sábado (acho) para o diretor de redação do jornal O Estado do Maranhão. Acompanhe:
“Dino Cantelli para correa
Como é bom contar com pessoas sensatas e que lutam para que não vilipendiem uma das
biografias mais cândidas da política brasileira. O que estão fazendo com o nosso Sarney é um
massacre sem precedentes. Fruto da mídia golpista, dos empresários gananciosos e daquele
socialista desgraçado, o Groucho Marx.
Meus parabéns pela cobertura do caso. Ganhamos de goleada no Conselho de Ética. Aliás,
nem sei pra quê tem esse nome.
Um abraço para a família.
OBS: fiquei preocupado com o Zé. Está tremendo mais que caminhão Chevrolet 69. A idade já
está pesando. Será que não seria a hora de descansar?
Aquele Duque tá a cara do Espiridião Amim. “RISOS”.
ATT.
Dino Mello Calheiros.”
***
Sim, eu sou um fingido do caralho.
Se você quer deixar a sua opinião a respeito da cobertura do jornal, mande uma mensagem para
o diretor de redação:
correa@mirante.com.br
Sem ofensas. E sem escrúpulos.
Mandei um e-mail no sábado (acho) para o diretor de redação do jornal O Estado do Maranhão. Acompanhe:

“Dino Cantelli para correa

Como é bom contar com pessoas sensatas e que lutam para que não vilipendiem uma das biografias mais cândidas da política brasileira. O que estão fazendo com o nosso Sarney é um massacre sem precedentes. Fruto da mídia golpista, dos empresários gananciosos e daquele socialista desgraçado, o Groucho Marx.

Meus parabéns pela cobertura do caso. Ganhamos de goleada no Conselho de Ética. Aliás, nem sei pra quê tem esse nome.

Um abraço para a família.

OBS: fiquei preocupado com o Zé. Está tremendo mais que caminhão Chevrolet 69. A idade já está pesando. Será que não seria a hora de descansar?

Aquele Duque tá a cara do Espiridião Amim. “RISOS”.

ATT.

Dino Mello Calheiros.”
***

Sim, eu sou um fingido do caralho. Até o fechamento deste post Correa não havia respondido. Claro.

Se você quer deixar a sua opinião a respeito da cobertura do jornal, mande uma mensagem para o diretor de redação: correa@mirante.com.br

Sem ofensas. Nem escrúpulos.

RIP John Hughes

07/08/2009
Epitáfio:
“Férias Frustradas” (1983)
“Mulher Nota 1000” (1985)
“A Garota de Rosa-Shocking” (1986)
“Esqueceram de Mim” (1990)
“Beethoven – O Magnífico” (1992)
“Dennis, o Pimentinha” (1993)
“101 Dálmatas” (1996)
E os clássicos:
“O Clube dos Cinco” (1985)
“Curtindo a Vida Adoidado” (1986)
(…)
Agradeça a John por você ter tido infância. E por ter moldado a porra da sua adolescência.

Epitáfio:

“Férias Frustradas” (1983)

“Mulher Nota 1000” (1985)

“A Garota de Rosa-Shocking” (1986)

“Esqueceram de Mim” (1990)

“Beethoven – O Magnífico” (1992)

“Dennis, o Pimentinha” (1993)

“101 Dálmatas” (1996)
E os eternos clássicos:

“O Clube dos Cinco” (1985)

“Curtindo a Vida Adoidado” (1986)

(…)

Agradeça a John por você querer um dia ser esquecido em casa; ter um cachorro São Bernardo; praticar travessuras com engenhocas e, claro, querer curtir a vida adoidado.

Parece nada. Mas ele moldou o início da porra da sua vida.

john_hughes

Não mexe no nosso coroné

06/08/2009
Como vocês bem sabem, sou jornalista prático. E nos manuais que baixei da internet, imparcialidade é um tema que o jornal Estado do Maranhão não conhece.
E viva à realidade paralela.

Como vocês bem sabem, sou jornalista prático. E nos manuais que baixei da internet, imparcialidade é um tema que o jornal Estado do Maranhão não aprendeu ainda. Talvez porque o papai Sarney não o tenha deixado.

Um viva à realidade paralela.

maranhao

Você pode acessar essas e outras pérolas do jornalismo feudal através deste link:  http://imirante.globo.com/oestadoma/index.asp

PLANTÃO:

Oposição acusa Sarney de derrubar o site de piadas Twitter.

Palpiteiros especializados especulam sobre o que houve e as possíveis teorias:

1ª – Géderson, o cara do servidor, está com uma gripe estranha e não veio trabalhar.

2ª – Hoje, 6 de agosto, são 64 anos da bomba atômica de Hiroshima. Tirem suas conclusões.

3ª – Greenpeace em mais um plano de ação contra o uso de baleias nas mensagens de erro do serviço.

4ª – Jesus está voltando.

Fim do plantão*.

*os plantões TioDino são inseridos de forma aleatória e sem nenhum critério em meio a posts de qualquer natureza e sem aviso prévio.

O Google e as ditaduras

05/08/2009
O Google é um primor. Graças a ele podemos encontrar o “cu do mundo” e escrever certo
“Nietzsche”.
O Google nos engolirá. Escrevam nas pedras – já que na rede tudo será apagado. É a
neo-Matrix. Bem, o texto não era bem sobre isso…
Bill, o foda. Conseguiu intermediar a libertação das jornalistas Laura Ling e Euna Lee na Coreia
do Norte. Clinton, com essa, comprovou que desde os tempos de Lewinsky, sempre arruma
uma boquinha.
As americanas foram condenadas a trabalhos forçados pela ditadura daquele homenzinho
esquisito, cinéfilo e de nome que mais parece um nick. Se Kim Jong-il não fosse um ditador
sanguinário, passaria batido em um Campus Party como um nerd viciado em GTA.
O que faz alguém perigoso é o lugar e o brinquedinho que tem em mãos… olhem só, quase uma
tese.
Pior do que viver em um país totalitário é ser condenado nele. Imaginem estarem presos em um
lugar onde o único recurso é rezar? E nem é só isso: não se pode nem entrar no Twitter!
Por essa razão me preocupa quando o Brasil flerta com países que torturam pessoas que não
usam burca ou que não tenham uma foto do presidente na sala de casa.
É lastimável ver um chefe de Estado abraçando pessoas como Muammar Kadafi, ditador da
Líbia. Ou achando justo Chavez fechar todos os canais de TV. Ou dizendo que no Irã tem
democracia.
Ah, falando nisso, os aiatolás reconhecem seu mais novo presidente. Seu mais novo
representante da democracia-totalitária iraniana.
Deem boas vindas outra vez a Mahmoud Ahmadinejad… Que nominho, hein Google?

O Google é um primor. Graças a ele podemos encontrar o “cu do mundo” e escrever certo “Nietzsche”.

O Google nos engolirá. Escrevam nas pedras – já que na rede tudo será apagado. É a neo-Matrix. Bem, o texto não era bem sobre isso…

Bill, o foda. Conseguiu intermediar a libertação das jornalistas Laura Ling e Euna Lee na Coreia do Norte. Clinton, com essa, comprovou que desde os tempos de Lewinsky, sempre arruma uma boquinha.

As americanas foram condenadas a trabalhos forçados pela ditadura daquele homenzinho esquisito, cinéfilo e de nome que mais parece um nick. Se Kim Jong-il não fosse um ditador sanguinário, passaria batido em um Campus Party como um nerd viciado em GTA.

O que faz alguém perigoso é o lugar e o brinquedinho que tem em mãos… olhem só, quase uma tese.

Pior do que viver em um país totalitário é ser condenado nele. Imaginem estarem presos em um lugar onde o único recurso é fazer uma prece? E nem é só isso: não se pode nem entrar no Twitter!

Por essa razão me preocupa quando o Brasil flerta com países que torturam pessoas que não usam burca ou que não tenham uma foto do presidente na sala de casa.

É lastimável ver um chefe de Estado abraçando pessoas como Muammar Kadafi, ditador da Líbia. Ou achando justo Chavez fechar todos os canais de TV. Ou dizendo que no Irã tem democracia: lá, quem tem Orkut tem medo.

Ah, falando nisso, os aiatolás reconhecem seu mais novo presidente. Seu mais novo representante da “democracia-totalitária” iraniana.

Deem as boas vindas outra vez a Mahmoud Ahmadinejad…

Só mesmo o Google pra acertar esse nome.

Kim-Jong-il

Um clássico nerd. Sem PC. Porque lá não tem.